“Me viam como ídolo, agora me veem como um milagre” | Resgate Fm
» » » » “Me viam como ídolo, agora me veem como um milagre”

Com um semblante triste, mas com força para recomeçar, o zagueiro Neto se reapresentou com o elenco da Chapecoense na manhã da última sexta-feira (6) para a temporada 2017.

Em entrevista coletiva realizada no CT do clube, o jogador afirmou que foi difícil retornar para a Arena Condá, mas que preferiu encarar a realidade e honrar a memória dos amigos que perdeu no acidente de avião.

“É uma situação muito diferente da que sempre vivi. Queria estar com eles, comemorando e se reapresentando alegres aqui de novo. Mais um desafio na minha vida. Recuperar minha saúde, minha mente. E vindo aqui é o que vai me dar força”, disse ele.

Neto revelou que ainda enfrenta batalhas emocionais por causa da tragédia. “Vira e mexe me pego chorando. Já chorei muito em casa quando lembro do que vivi aqui dentro, mas tenho que recuperar. Tenho certeza que eles estão nos braços do Pai, em um lugar muito melhor do que a gente está. Sei que os caras estão num lugar bom e tenho que melhorar a parte física e mental, e nada melhor do que estar aqui. Tenho que superar e levar a vida, senão acabo me afundando na depressão e sei que Deus não quer isso na minha vida”.

O zagueiro também reafirmou sua fé durante a entrevista. “Algumas pessoas falam que pensavam que eu fosse embora. Para mim tem sido uma benção, porque eu sei que Deus tem um propósito para cada coisa. A gente não escolhe. Eu falo para vocês: foi Deus que me colocou aqui. Quando você cai de um avião não tem essa de ‘força’. Eu sei que muita gente orou por mim quando descobriu que eu estava vivo”, afirmou.

Neto se reapresentou com o restante do elenco da Chapecoense. (Foto: Sirli Freitas/Chapecoense)
Neto conta que perdeu 15 quilos após o acidente aéreo com o voo da Chape, e ainda precisa recuperar mais dez. O atleta também afirmou que passou a dar valor a outras coisas na vida após o acidente.

“Perdi muita massa muscular, tive muitas lesões. Você perde toda a força que você tinha. Teve momentos que não sabia nem engolir comida, tomar água. A primeira vez que tomei um banho de chuveiro parecia que estava entrando num mar do Caribe. Tem coisas na vida que a gente não dá importância. Coisas simples que a gente não dá valor”, disse ele.

O zagueiro também reencontrou alguns companheiros de time e conheceu novos jogadores. “Muita gente veio me dar um abraço, dizer que eu estava vivo. A gente agradece o carinho de todos. Alguns eu não conheço, mas eles me conhecem. Quero ajudar o clube de alguma forma. Estando aqui acho que posso agregar de alguma forma para quem está chegando”, contou.

“As pessoas me olham com outros olhos. Antigamente todo mundo aqui na cidade me via como jogador da Chapecoense, me via como ídolo. Hoje as pessoas me veem como um milagre. Tem gente que não acredita que eu sobrevivi. Nossa vida é assim, uma luta constante”, acrescentou.

Neto conversa com jogadores da Chapecoense. (Foto: Sirli Freitas/Chapecoense)
Neto foi um dos seis sobreviventes do desastre aéreo que matou 71 pessoas, no dia 29 de novembro, perto de Medellín, na Colômbia. Além dele, só outros dois jogadores permaneceram com vida: o goleiro Jackson Follmann e o lateral Alan Ruschel. Neto e Ruschel devem voltar aos gramados em 2017, mas Follmann acabou perdendo uma perna no acidente.

Fonte: GUIAME

Postado Por Resgate Fm

«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário :

Deixe uma resposta