Pastor alerta cristãos sobre visão 'romântica' do Natal: "Jesus nasceu em um estábulo imundo" | Resgate Fm
» » » » Pastor alerta cristãos sobre visão 'romântica' do Natal: "Jesus nasceu em um estábulo imundo"

O pastor Greg Laurie, da Igreja 'Harvest Christian Fellowship', em Riverside, Califórnia, disse que muitas vezes as pessoas "romantizam a história do Natal" e não conseguem entender o poderoso significado por trás dela.

"Na realidade, a história de Jesus não é uma história de 'trapos para riquezas', é uma história de 'riquezas para trapos', é uma história de deixar a glória do Céu para vir a este planeta. Jesus poderia ter nascido em uma elegante mansão na avenida mais cara de Roma", Laurie escreveu em um post de sua página oficial do Facebook, na última terça-feira (6).

"Ele poderia ter tido pais aristocráticos que se vangloriaram de seu 'pedigree'. Ele poderia ter tido as melhores roupas das lojas mais exclusivas. Ele poderia ter tido legiões de anjos como seu exército particular de servos para atender a todos os seus caprichos. Mas Ele não tinha nada disso. Jesus decidiu se humilhar", acrescentou.

Quebrando o "romantismo" em torno do nascimento de Jesuse do Natal, o pastor lembrou o quão precárias eram as condições daquele estábulo onde nasceu o salvador da humanidade.

"Aquele estábulo ou celeiro onde Cristo nasceu, estava frio e úmido, também devia cheirar muito mal... O Deus encarnado nasceu no em um estábulo imundo, de terra batida. O nosso Salvador não veio como um monarca coberto de ouro e Seda, mas como um bebê envolto em panos", disse ele.

Laurie ainda enfatizou que Jesus "passou de um ser soberano a um um servo".

"Natal sem romantismos"

Outros líderes evangélicos proeminentes, incluindo Russell Moore, presidente da Comissão de Ética e Liberdade Religiosa da Convenção Batista do Sul, também comentaram sobre a secularização do Natal, escrevendo em um editorial publicado no 'Christian Post', na semana passada que embora muitas músicas de Natal hoje sejam festivas e alegres, a realidade é que o tempo de Jesus na Terra foi cercado por guerras e perigos.

"A primeira canção de natal, afinal de contas, foi um hino de guerra: Maria de Nazaré canta a vitória de Deus contra seus inimigos, sobre como Ele demonstrou seu poder em Cristo e destituiu os poderosos de seus tronos, exaltando os humildes. (Lucas 1:52)", escreveu Moore.

O presidente do Conselho de Ética da Convenção Batista do Sul destacou.

"Nós estamos alegres no Senhor, não estamos? Queremos encorajar as pessoas, não é verdade? E ainda assim, o que estamos tentando fazer não está funcionando, até mesmo nos termos que colocamos para nós mesmos. Eu suspeito que muitas pessoas em nossos bancos das igrejas olham em volta delas e acham que os outros têm o tipo de felicidade que nós prometemos - especialmente na época do Natal - e se perguntam por que tal felicidade 'passa direto por elas", alertou.

O pastor batista também incentivou os cristãos a abraçarem a vasta gama de sentimentos que cercam a história e o significado por trás do Natal.

"Por não falar tudo o que a Bíblia mostra sobre toda a gama de emoções humanas - incluindo a solidão, a culpa, a desolação, a raiva, o medo, o desespero - simplesmente deixamos os nossos irmãos lá, se perguntando por que eles simplesmente não podem sorrir como os outros ou porque eles ainda se sentem infelizes, mesmo quando eles estão entoando o clássico e alegre hino "Vinde Cantai" na igreja", argumentou Moore.

Fonte: Guiame

Postado Por Resgate Fm

«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário :

Deixe uma resposta